Sr. Antonio Leite 90 anos de histórias.

Nesta terça-feira, 25, o Sr. Anotino Leite completou 90 anos de idade,

Antonio Pereira Leite – Alto Caparaó-MG

Escrito por Euleir Eller

Antonio Pereira Leite, o “Seu Antonio Leite”, como é conhecido, nasceu em Laranjal-Mg mas, desde os nove anos de idade, reside em Alto Caparaó, sendo hoje um dos mais antigos moradores. Quando chegou à Cidade, esta era, apenas, uma pequena vila no alto da serra.
Veio para morar em casa de desconhecidos, posto que já não tinha os pais em sua companhia para o criar. Aqui cresceu e aqui formou a sua família, com mulher e dez filhos.

Ele viu surgir às primeiras trilhas sulcadas com o tempo pelo pisar das mulas e pelo passar dos carros de boi. Essas trilhas deram origem às estradinhas barrentas, abertas por ele e outros pioneiros, a golpes de pás e picaretas, estradas essas que só eram transitáveis por jipes e carros tracionados em marchas reduzidas.

Com suas mulas, pelo alto das serras, fez o comércio de dos seus produtos rurais, desde o queijo e a rapadura até ao café e ao milho de suas colheitas. No retorno das transações, voltavam as mulas carregadas com os mantimentos, o sal e os remédios, preciosidades para todos que viviam isolados naquele cantão das Serras de Minas. Na época das chuvas, era comum um isolamento forçado de muitos dias ou meses, devido ao crescimento das águas nos leitos dos rios por vadear.

Enfim, com o dever de retirar da terra o sustento da prole, podemos dizer que o Seu Antonio é um exemplo vivo daqueles sertanejos, de têmpera de aço, para os quais as intempéries quase nunca lhes impunha perder um dia de trabalho, de sol a sol, no dizer bem mineiro.

Como outros desbravadores da região, ele também criou gado caprino, equino  e bovino, utilizando as abundantes pastagens dos altos das serras do Maciço do Caparaó, antes que essas  viessem a ser tombadas como Reserva Nacional. Os meandros daquelas serras, que assustam o forasteiro, eram como caminho de casa para o Seu Antonio, que ali enfrentou tempestades e carências, inclusive as temperaturas abaixo do zero grau, normais naquelas altas paragens, tudo para buscar os meios de criar a família.

Com a criação do Parque Nacional do Caparaó foi a sua modesta casinha que veio a se tornar a primeira casa-sede administrativa do novo Órgão Federal.

De fala mansa e pausada, o Seu Antonio Leite é muito procurado para falar às crianças, nas escolas, sobre as origens da Cidade em que vivem e de como se implantou um dos principais destinos turísticos do Estado de Minas Gerais. Conta-lhes, por exemplo, que  foi no lombo das suas mulas cargueiras que os primeiros turistas, na maioria estrangeiros, subiram a serra para conhecer o já famoso Pico da Bandeira.

O Seu Antonio Leite é um arquivo vivo da história do lugar e sobre os moradores primeiros do antigo “Caparaó Velho ou Caparaó de Cima”.

É uma delícia ouvi-lo, principalmente, em sua cozinha, à beira do fogão de lenha, tendo sobre a chapa de ferro um bule de café fumegante, delícia servida aos visitantes com a broa caseira preparada pela Da. Enedina, sua esposa.

Sua casa sempre foi parada obrigatória de estudiosos ou de quantos pretendiam saber algo da região, das suas serras, fauna, flora ou sobre a vida da Cidade. Suas narrações têm o sabor das coisas vividas, lembradas com perfeição e pormenores, por uma mente privilegiada que parece criada para contar histórias.

Eu tenho o privilégio de partilhar esse ambiente e nunca me canso dos “causos pitorescos” que ele desfia com prazer. É tão agradável e prazenteira essa convivência que a sua família logo parece ser, também, a nossa família.

Quase toda manhã, exceto sábados, quando vai ao culto de sua amada Igreja Adventista, ele se senta na frente de sua casa, na rua principal, e lá permanece horas “quentando o sol” e cumprimentando as pessoas que passam no rumo da sua lida diária. Em todos os passantes um sorriso e o cumprimento cordial: Bom dia, Seu Antonio, como vai!

Ele conhece quase todos os moradores e, quando passam jovens que não o cumprimentam, logo atalha: “Devem ser moradores novos, tem muita gente nova chegando para morar aqui no Caparaó”. Diz isso como que lamentando tenha a cidade crescido e triplicado em moradores e vida econômica, em pouco mais de uma década, desde que o  Distrito se converteu no Município de Alto Caparaó.

O Sr. Antonio Pereira Leite é história viva da Cidade de Alto Caparaó, tem muitos casos, “causos” e fatos históricos para relatar. Por exemplo: Ele foi um dos guias requisitados pela Polícia Militar de Minas Gerais, Unidade de Manhuaçu, para guiar a soldadesca, pelos altos da serra, quando vieram no encalço dos famosos “Guerrilheiros do Caparaó”.

A fama dos seus doces, mesmo havendo parado de fabricá-los há mais de dez anos, ainda é motivo para que os turistas parem e com ele gastem um “dedo de prosa”.

Nunca ouvi dizer de alguém que dele não goste ou que com ele tenham tido rixas de qualquer natureza.

Obrigado, querido amigo, por sua vida exemplar e pela honra que me dá ao me incluir entre os seus amigos.

Receba um abraço saudoso do amigo, distante,

Euleir Eller

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: